terça-feira, 19 de maio de 2015

Viagem de bicicleta de Recife a Maceió - segundo dia

Este é o relato do segundo dia da viagem.
Para visualizar o primeiro dia da viagem clique no link abaixo

O dia amanheceu ensolarado no meu segundo dia de cicloturismo.
O dono da pousada e hostel quando me perguntou de onde eu vim e para onde vou, ficou admirado. Disse que é um sonho dele fazer um dia o mesmo, mas que só faltava coragem. Eu disse que é só decidir que o restante aparece.
Ele bateu minha foto para mostrar aos amigos e planejarem uma viagem como esta. Tomei café da manhã e saí da pousada às oito e meia, após ler mensagens maravilhosas abaixo nas paredes da pousada.





















Sempre no sentido sul, e margeando as Praias, saí da Praia de Porto de Galinhas em direção a Maracaipe.

 

Pouco antes de chegar ao pontal de Maracaípe, percebi que o Rio Maracaípe já corria no lado oeste do meu percurso. Resolvi então dobrar a direita e procurar alguma embarcação para atravessar o rio. A beira do Rio Maracaípe encontrei algumas jangadas com jangadeiros uniformizados. Se não me engano, tinha inclusive toldo e banquinhos para os turistas aguardarem o passeio.
Perguntei a um dos jangadeiros quanto custaria a travessia para a margem oposta do rio.
Ele disse que aquelas embarcações seguem um roteiro fixo previamente estabelecido para os turistas conhecerem os cavalos marinhos. Sugeriu que eu fosse até o pontal de Maracaípe pois lá poderia ser que eu conseguisse um barco para travessia.





Assim eu fiz.  Aproximadamente neste local avistei algumas placas com sinalização "Propriedade particular. Proibido acampar". 



No pontal de Maracaípe apanhei um barco por cinco reais para travessia do Rio Maracaipe até a outra margem que fica na Praia de Enseadinha. 


Travessia do Rio Maracaipe
Travessia do Rio Maracaipe

Praia de Enseadinha

Caminho para Toquinho.

Na companhia de Deus, sigo em frente. Até a Praia de Toquinho, passando pela Praia de Serrambi atravessei lindos lugares, que nem imaginava que existiam em Pernambuco. 
Chegada em Toquinho
Toquinho
Toquinho
Toquinho
Toquinho
Toquinho
Ponto de Embarque para o barco
Ponto de Embarque para o barco
Ali vem o barco, para atravessar o rio Serrambi para Barra do Sirinhaém. 

Ponto de Embarque para o barco


A passagem neste barco custa três reais.







Da Barra de Sirinhaém, fui seguindo pela Rodovia Costa Dourada, trecho da PE009 entre Barra de Sirinhaém à Gamela







Cheguei neste pier que fica em Guadalupe, no fim da Rodovia PE009, extremidade sul. 






Daqui já dá para avistar a Praia dos Carneiros do outro lado do rio. 
Encontrei algumas embarcações como barco de pescador e lancha ancorados no píer. Não encontrei, porém, dono ou ninguém responsável pelos barcos para pedir para atravessar o rio até a outra margem, na Praia dos Carneiros. 
Caso não apareça ninguém dentro de meia hora, terei que retornar pela PE009, até perto de Barra de Sirinhaém, pegar a PE061 até alcançar a PE060, passar por Rio Formoso, e seguir pela PE072 até, finalmente, entrar em Praia dos Carneiros, um aumento no percurso de 39km, duas horas e meia a mais de bicicleta.




Feliz, por gostar do que faço. Vibrando com a liberdade que a bicicleta proporciona.
Fiquei no píer por vinte e cinco minutos acenando e gritando para os pescadores e donos de lancha na margem oposta na esperança de alguém me ver ou ouvir apesar da distância. Fiquei imaginando a sensação de um náufrago. Não é bom nem pensar. Felizmente alguém numa lancha com três passageiros me avistou. Pude atravessar o rio com minha inseparável bicicleta. De lancha! E o dono não quis nem me cobrar quando soube de onde eu vim. 
A travessia do rio foi resolvida com sucesso. Já o trecho entre a Praia até a rodovia foi desgastante. Talvez a parte mais cansativa da viagem. A areia estava fofa. Não dá para pedalar. A bicicleta atola na areia. A praia parece que é privatizada, pois não tem passagem para a rodovia. Tudo murado pelas mansões a beira mar. Caminhada pesada por quase três quilômetros! Veja só meus passos afundando na areia.






Finalmente encontrei uma saída da Praia dos Carneiros e segui pela Rodovia PE 072, em direção a Praia de Tamandaré.
Pedalando alguns poucos quilômetros percebi que o acesso público de carro a Praia dos Carneiros ainda ficava mais adiante.



Chegando ao giradouro da PE 076 em Tamandaré, entrei no sentido Oeste. 

Ideia agora é seguir pela PE 060, via Barreiros, para chegar a Praia de São José da Coroa Grande ainda com a luz do dia, num percurso de 29 a 30 quilômetros.

No percurso passei pelo alto de uma cachoeira e presenciei um lindo por do sol.


Num posto da Polícia Rodoviária Estadual, um policial me perguntou de onde vinha. Ficou admirado e perguntou até onde vou. Ficou mais admirado e bateu uma self comigo para mostrar a um amigo dele que faz cicloviagens. O policial disse que comprou uma bicicleta para ele e outra para sua esposa. E ainda completou: "Só me falta disposição para pedalar. Agora com o seu exemplo, acho que vou começar a me exercitar".



Cheguei a cidade de São José da Coroa Grande às 17 horas como previa. Encontrei uma pousada chamada Lírio dos Vales. Quarenta reais com café da manhã, ar condicionado e TV (é pousada mesmo, não é hostel). Perguntei se tem internet wifi. A recepcionista respondeu afirmativamente. Topei na hora.




Concluí o segundo dia de viagem com 75km pedalados. Velocidade de média 13,1 km/h, em 5h41m pedalados. Total desde o início da viagem até o momento: 148km pedalados. Agradeço a Deus este dia maravilhoso. Apesar de algumas dificuldades enfrentadas, transcorreu tudo bem. Nenhum pneu furado nem quebra de corrente. Muito obrigado a força dos amigos.



Confira o relato do terceiro de cicloviagem no link abaixo:
http://www.ciclomobilidade.blogspot.com.br/2015/05/viagem-de-bicicleta-de-recife-maceio_10.html


2 comentários:

  1. Bacana! Tava procurando um relato sobre essa travessia, mas eu vou fazer sentido oposto. Será que vou conseguir entrar nessa área privada??
    Vc sofreu muito com o vento contra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou fazer do porto de Galinhas até a Foz do Rio São Francisco. Também gostaria de saber sobre a questão do vento.

      Excluir